Ferramentas Pessoais
Você está aqui: Entrada Sala de Imprensa Publicações TEMA Acervo Temas Edição 184 Matérias Valorização e desenvolvimento

PESSOAS

Valorização e desenvolvimento

Processo de Gestão de Pessoas prioriza o bem-estar e o crescimento dos empregados, fazendo do ser humano o principal ativo da Empresa

Ter um quadro de empregados motivado e comprometido com o alcance dos objetivos e das metas empresariais é o ponto de partida para o sucesso de qualquer organização. No Serpro, esse conceito é praticado em caráter permanente, em cada uma das várias ações estruturadas pela área de Gestão de Pessoas. O direcionamento é para a valorização e o aprimoramento contínuo do quadro. É preciso fazer com que cada integrante dessa grande equipe de trabalho, espalhada por todos os cantos do território nacional, reconheça-se como parte fundamental para os processos corporativos.

Todo um conjunto de projetos é executado para fazer dessa determinação uma realidade no dia-a-dia da Organização – iniciativas que abrangem dimensões diversas, como clima organizacional, qualidade de vida, desenvolvimento de competências, ética empresarial e gestão do conhecimento, entre outros fatores. Na prática, significa construir uma cultura de excelência no desempenho, num ambiente constituído por pessoas capazes de crescer e de contribuir para a evolução da Empresa como um todo. Enfim, uma filosofia de gestão que tem, como resultado final a ser alcançado, a melhoria contínua das soluções tecnológicas e do atendimento às necessidades dos clientes.

Mais de trezentos profissionais estão diretamente ligados ao trabalho de concepção e realização dos vários programas executados. “Em cada uma das regionais do Serpro, existe uma projeção responsável por aplicar, no local, as diretrizes estabelecidas pela Diretoria em Brasília. Tudo para fazer com que a motivação, o entusiasmo e a eficiência sejam a tônica da atuação dos 9.700 empregados da Instituição”, afirma Bell Simões, coordenadora do Processo Corporativo Pessoas, da Unidade de Alinhamento Estratégico (UAE).

Comportamento e Capatcitação

Entre as iniciativas de destaque, está o ProPessoas (Programa Serpro de Desenvolvimento de Pessoas), estruturado em dois segmentos: corpo funcional e corpo gerencial. “É um projeto que trabalha o aprimoramento de habilidades e atitudes”, explica Eunides Chaves, superintendente de Gestão de Pessoas do Serpro. Iniciado em 2004, o ProPessoas tem como objetivo aprimorar, por um lado, as competências do conjunto de empregados e, por outro, contribuir para o desenvolvimento de lideranças gerenciais e de suas equipes. Desse projeto, já foram realizados os módulos “Fortalecendo Vínculos”, que enfocou o relacionamento entre as pessoas e o Serpro, e “Vencendo Barreiras”, que trabalha o desenvolvimento das competências conversacionais e ciclos de promessas. Ambos foram desenvolvidos pelos empregados do Serpro, que também atuaram como facilitadores das atividades.

Para Bell Simões, trata-se de um investimento que vale a pena ser feito. “Ao trabalhar a parte comportamental, o ProPessoas traz resultados efetivos para os produtos do Serpro, pois tem impacto diretamente na produtividade. Afinal, pessoa feliz também dá lucro”. Segundo Bell, a iniciativa faz com que os empregados passem a conhecer melhor o local em que trabalham. “Sabemos que projetos desse tipo desenvolvem muito, também, as competências conversacionais. Transmitem a importância de falar e escutar, numa visão mais ontológica de se utilizar a linguagem, em função da efetividade do que se fala e daquilo que o outro escuta”, explica Bell.

Bell Simões  

“Queremos que a motivação,o entusiasmo e a eficiência sejam a tônica da atuação dos empregados”, afirma Bell Simões.


Ao mesmo tempo em que participam de ações com foco comportamental, os empregados têm acesso a eventos de capacitação profissional e a outros cursos de formação por meio da Universidade Corporativa Serpro (Veja matéria a seguir). Para controlar o processo de capacitação vivido por cada empregado, foi desenvolvido o Sistema de Treinamento e Desenvolvimento (Sisted). O aplicativo ajuda a monitorar os eventos realizados, informando quem participou, quanto custou à Empresa, onde ocorreu o treinamento, qual foi a carga horária, entre outros dados.

A questão da qualidade de vida também merece destacada atenção dentro da Empresa. Para trabalhar o tema em seus diversos aspectos, foi instituído o Programa Serpro de Qualidade de Vida – “Viver começa em mim” –, matéria da Revista Tema, em sua edição 182.

Renovação do Quadro

Uma das preocupações permanentes do processo de gerenciamento de pessoal no Serpro é quanto à renovação do quadro. A realização de concurso público recente permitiu que, entre 2004 e 2005, mais de 1.500 novos empregados ingressassem na Empresa. “É uma forma mesmo de oxigenar o quadro em função da quantidade de pessoas aposentadas, que já saíram e que tendem em pouco tempo a sair do Serpro. A Empresa precisa dar continuidade aos seus processos”, explica Eunides Chaves. Na avaliação dela, é importante promover o compartilhamento de informações entre os mais experientes e os novatos, de modo que se viabilize um adequado processo de sucessão. “É fundamental que todo o conhecimento dos que estão saindo seja mapeado, resguardado e compartilhado com os colegas que chegam, para não ter descontinuidade”, afirma a superintendente.

Para esses que chegam, a Empresa direciona outro de seus programas institucionais, o “Você e o Serpro”. Trata-se de uma iniciativa de ambientação e integração de novos empregados. Executado pelo próprio corpo funcional, é uma espécie de “boas-vindas”, que se dá em todas as unidades do país, visando transmitir aos recém-concursados o que significa trabalhar no Serpro e mostrar tudo o que representa a Organização na qual eles estão ingressando.

Estímulo à Inovação e à Criatiidade

Além do desenvolvimento de diversos programas estruturados, a política de gestão de pessoas adotada pelo Serpro abrange outras medidas que valorizam e estimulam a capacidade criativa dos empregados. Entre essas ações está o Congresso Serpro de Tecnologia e Gestão Aplicadas a Serviços Públicos (ConSerpro), que premia, em dinheiro, trabalhos desenvolvidos pelos empregados no campo da Tecnologia da Informação. Em 2005, a premiação foi no Rio de Janeiro e contou com 81 trabalhos inscritos, que posteriormente tiveram seus conteúdos devidamente divulgados e colocados à disposição das áreas.

Outra experiência do Serpro na área de Gestão de Pessoas é o Teletrabalho. Tendência mundial nas grandes corporações, essa iniciativa oferece a determinados segmentos do quadro a opção de exercer as suas atividades fora do ambiente da Empresa. Segundo a coordenadora do projeto Teletrabalho Joselma Oliveira Pinto, do Serpro, a prática é realizada mediante regras bem definidas, com um acordo pré-estabelecido entre o empregado e sua chefia. “O teletrabalho ocorre quando as tecnologias da informação se aplicam para possibilitar a realização do trabalho longe de onde seus resultados são necessários, ou a distância de onde seria convencionalmente realizado, alterando a geografia habitual do trabalho. Configura-se em uma prática organizacional que proporciona flexibilidade em relação ao local e ao horário em que o trabalho é desempenhado”, explica Joselma em artigo acadêmico, no qual abordou o novo modelo adotado pelo Serpro.

Apesar de ainda estar em fase inicial, o projeto Teletrabalho do Serpro já foi reconhecido pelo mercado, ao ser consagrado vencedor do Prêmio Candango de Excelência em Recursos Humanos, promovido pela ABRH – Regional DF.

Clima Organizacional

Uma política tão abrangente e diversificada de gerenciamento de pessoal não poderia prescindir do monitoramento constante da satisfação dos empregados em relação à Empresa. Essa avaliação ocorre por meio da Pesquisa de Clima Organizacional, realizada a cada ano. Divulgados no final de 2005, os resultados da última pesquisa mostram que o índice dos que se disseram contentes por trabalhar no Serpro atingiu o patamar de 73%. No ano anterior, a satisfação medida foi de 69%, o que aponta para uma evolução dessa avaliação, que tem na política de pessoas um de seus fatores de percepção.

Para Eunides Chaves, a consolidação da Pesquisa em 2005 mostra que a Empresa está no caminho certo. “A expectativa era de chegar a 70%, portanto ultrapassamos esse limite”, afirma. Ela frisa que a metodologia de pesquisa adotada pelo Serpro obedece aos fatores da Fundação Nacional de Qualidade. Além disso, o questionário é respondido por meio de um sistema on-line, e o empregado tem a garantia de sigilo quanto à sua identificação.

Outra pesquisa interna aplicada pelo Serpro refere-se especificamente à satisfação dos clientes da área de Gestão de Pessoas. O questionário é respondido por todo o corpo gerencial da Empresa, o que dá em torno de 820 gestores. Os resultados mostram índices ainda maiores do que os da Pesquisa de Clima Organizacional. “O limite também era de 70%, e nós tivemos 85% de satisfação dos clientes”, comemora a superintendente.

Eunides Chaves  

“É fundamental que todo o conhecimento dos que estão saindo seja mapeado, resguardado e compartilhado com os colegas que chegam, para não ter descontinuidade”, considera Eunides Chaves.


Os resultados e as realizações descritas demonstram que o Serpro, ao eleger a gestão de pessoas como uma de suas maiores prioridades, constitui-se numa Empresa que se renova a cada dia. Os empregados atuam com entusiasmo, motivação e alto padrão de eficiência, orgulhosos e satisfeitos por oferecer produtos e serviços cada vez melhores aos clientes e por contribuir, de modo efetivo, para o desenvolvimento tecnológico, econômico e social do Brasil.


tema
 
Ano XXX - Edição 184 Março/Abril 2006